Terceira idade: com tempo e dinheiro para viajar

Idosos são os turistas com maior intenção de viagem nos próximos seis meses, revela estudo do Ministério do Turismo

Os idosos são um grupo numeroso e empolgado de viajantes. Com tempo e disposição, sozinhos ou em grupos, eles encaram com leveza a experiência de se aventurar em novos destinos. Por isso, o Ministério do Turismo fez um retrato de um público que ganha cada vez mais a atenção das agências de viagem, meios de hospedagem e de transporte.

De acordo com estudo de Tatiana Alarcon e Pedro Fideles, profissionais do turismo, entre os brasileiros que pretendem viajar nos próximos meses, os idosos foram os que mostraram mais disposição para colocar o plano em prática (27,8 por cento), de acordo com o boletim de intenção de viagem do Ministério do Turismo referente ao mês de agosto. E a vontade de explorar o Brasil também está maior. Das pessoas com mais de 60 anos que indicaram interessem em viajar, 55,9 por cento afirmaram preferência por destinos turísticos nacionais.

Isso se explica pelo fato de grande parte desse público ter renda mais elevada e tempo para viajar. Estima-se que o Brasil tenha hoje 33 milhões de aposentados e pensionistas, de acordo com o IBGE. São pessoas como Peter Sterf, de 61 anos, descendente de austríacos, que não esconde a sua preferência pelo Brasil, seu país de origem. “Quando viajo, gosto de ir além dos pontos turísticos, conversar com pessoas, visitar feiras e até supermercados”, disse. Seu próximo destino será Natal.

casal de idosos na praia

Dados do Ministério do Turismo mostram que a população acima de 60 anos já responde por quase 18 milhões de viagens ao ano no Brasil, o que representa uma fatia de 9 por cento do mercado nacional. A tendência é que esse público aumente a cada ano, devido ao envelhecimento da população. A projeção do IBGE é a de que em 10 anos os idosos representem 16 por cento dos brasileiros e, em 2060, 34 por cento. Hoje, o número de pessoas idosas no Brasil (acima de 60 anos) já chega a 26,1 milhões, segundo o IBGE – o equivalente a 13 por cento da população.

De acordo com um estudo da Fundação Instituto de Administração, os destinos de regiões serranas, as praias tranquilas, as propriedades em áreas rurais e as cidades com apelo cultural estão entre as mais disputadas pelo público, que costuma optar por programação específica e temática.

Em Socorro (SP), por exemplo, um hotel fazenda oferece infraestrutura adaptada para pessoas na “melhor idade”, além de atividades físicas e de entretenimento. Em Fernando de Noronha (PE), há passeios de barcos, mergulhos assistidos e trilhas, tudo para os idosos. Em Gramado (RS), vários meios de hospedagem, restaurantes e pontos turísticos têm elevadores, rampas de acesso, corredores largos e acomodações acessíveis.

A servidora pública aposentada, Isaura Garcia, de 68 anos, já visitou Salvador, Fortaleza, João Pessoa, Florianópolis e Curitiba. “Viajar é uma terapia para mim, um momento especial para conhecer culturas diferentes e locais históricos. Ainda vou conhecer o mundo inteiro”, afirma.

Tarcila Zonaro

Pé na Estrada