Parques de Curitiba

Conheça os 26 bosques e parques da capital do Paraná

A cidade paraense é considerada uma das mais aptas para o turismo na terceira idade e também para se viver, muito por conta de sua infraestrutura urbana, pensada para receber e acomodar todos os tipos de pessoas, de todas as idades. Curitiba possui cerca de 81milhões m² de área verde preservada, sua Mata Atlântica é a mais bem preservada do Brasil. O Índice Verde de Cidades de 2015, realizado pela Siemens com a Economist Intelligence Unit, classificou a cidade como a mais ambientalmente sustentável da América Latina. Além disso, Curitiba foi considerada pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) uma das “cidades criativas” do Brasil, juntamente com Florianópolis. 

Uma outra referência importante a Curitiba foi realizada pela revista Forbes em que a cidade foi considerada a terceira mais sagaz do mundo, no sentido que analisa como esperta a cidade que se preocupa, de forma conjunta, em ser ecologicamente sustentável, oferecer qualidade de vida, infraestrutura adequada e dinamismo econômico. É a Capital Ecológica do Brasil, pensa em reciclagem de lixo, ensina a população educação e consciência ambiental e dentro de seus parques promove cursos, programas e oficinas voltadas a sustentabilidade de seus recursos pela população. Para o turismo os parques são imperdíveis, preservados e cheios de histórias. 

O Bosque Alemão é um dos pontos mais importantes para a cidade. Foi inaugurado em 1996 como forma de homenagear a cultura e a tradição trazida pelos imigrantes alemães em 1833. Localizado no bairro Jardim Schaffer, ocupa 38 mil m² de área com mata nativa e densa pertencente a antiga chácara da família que deu nome ao bairro “Schaffer”. Das principais atrações do bosque destacam-se, o Oratório de Bach, uma sala para concertos musicais; o mirante da Torre dos Filósofos; a trilha João e Maria contextualizada com o aterrorizante conto de fadas germânico dos Irmãos Grimm ; a Casa Encantada, com uma biblioteca infantil e nascentes de água doce. A famosa faixada ao final da trilha é o frontão da Casa Milla, construída no início do século XX e que representa a arquitetura alemã. Sua varanda é mantida originalmente. 

Cartão postal de Curitiba, o Jardim Botânico foi inaugurado em 1991 e é popular pela estufa com três abóbodas de vidro, além dos jardins geométricos. O parque é rico nos detalhes pensados para compor sua beleza europeia, assim como a estufa de arquitetura no estilo art-noveau e inspirada em um palácio de cristal que, de fato, existiu em Londres séculos atrás. O Jardim Botânico ainda possui trilhas em um bosque de araucárias, lago com animais, como tartarugas, um velódromo e quadras esportivas para uso da população. Em volta da estufa há o espaço cultural Frans Kraicberg para exposições de artes e eventos culturais. 

Os outros parques e bosques curitibanos são, Bosque Boa Vista, Bosque Capão da Imbuia, Bosque da Fazendinha, Bosque de Portugal, Bosque do Papa, Bosque Gomm, Bosque Gutierrez, Bosque Vista Alegre, Bosque São Cristóvão, Memorial Ucraniano, Parque Bariqui, Parque Tanguá, Parque Tinqui, Parque da Pedreiras, Parque do Passaúna,  Parque São Lourenço, Parque do Iguaçu e Zoo, Parque da Barreirinha, Parque dos Tropeiros, Parque do Bacacheri, Passeio Público, Reinhard Maak, Unilivre e Vilinha.

Todos os parques e bosques são de extrema preservação e beleza cuidada. O Parque Barigui é um dos maiores da cidade e é o centro de encontros e eventos aos finais de semana e feriados. As caminhadas em volta do lago são tradicionais durante a semana e atraem a população em busca de atividades ao ar livre. O Parque Tanguá é belíssimo, suas cascatas e lagos são provenientes do Rio Barigui. Uma das principais atrações é o passeio de barco ou a pé pelo túnel artificial, além do mirante. Quem visita Curitiba se encanta, principalmente por se tratar de uma cidade urbanizada e cosmopolita extremamente organizada e bem cuidada.

Virginia Moreira

Jardim Botânico, Curitiba

Pé na Estrada