Caçadores de emoção!

Destinos ousados, esportes radicais, turismo de aventuras, conheça as opções mais buscadas por pessoas que decidiram aproveitar a vida e a natureza com emoção. 

Uma pesquisa sobre hábitos de turismo realizada pelo Programa de Administração de Varejo, da Fundação Instituto de Administração, revelou que 32,9% das pessoas acima de 60 anos viajam de duas a três vezes por ano, e 46,7% permanecem menos de sete dias no destino escolhido. As pessoas na faixa etária entre 45 e 65 anos têm buscado cada vez mais turismos inusitados, que incluam aventuras, desafios ou contato com a natureza selvagem. Uma das vantagens é que, no caso dos aposentados ou autônomos, viajar fora de temporada é uma opção mais em conta e com menos lotação em aeroportos, hotéis, resorts e locadoras de serviços diversos. 

Dentro do Brasil as ofertas de destinos são imensas e vão desde áreas rurais, às praias e cidades cosmopolitas. A escolha fica a cargo da intensão de cada viajante. Para quem busca esportes mais radicais, o interior do estado de São Paulo é uma excelente escolha, em cidades como Socorro, Brotas, Boituva e Iporanga é possível praticar diversas atividades: Iporanga abriga o Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (Petar) onde 300 cavernas desenham a paisagem natural da região, destas, 12 são abertas à visitação. Em algumas delas a caminhada chega a duas horas em escuridão total ( com lanternas apenas), trechos da trilha sobre a água e lindas cachoeiras no fim do caminho. O espeleoturismo é o esporte praticado como exploração de grutas e cavernas. Em Socorro a busca é por modalidades como rappel, arvorismo, tirolesa, rafting, boia-cross, caving, trekking e off-road. A 134 Km de São Paulo, a cidade criou uma das maiores tirolesas do país, com 1 Km de extensão, ela liga a cidade a Bueno Brandão, em Minas Gerais.  Boituva é o destino procurado para quem sonha em pular em queda livre com paraquedas ou praticar balonismo, enquanto Brotas é para os amantes da natureza e dos esportes de aventura, a cidade possuiu muitas cachoeiras e o Rio Jacaré, rico em corredeiras e afluentes. 

Os esportes de aventuras beneficiam a saúde com a diminuição do estresse. Além de proporcionar um ar mais puro, no caso de que mora em grandes cidades, entrar em contato com a natureza ao mesmo tempo em que desafia o próprio corpo e mente melhora a auto-estima, afastando males comuns na sociedade contemporânea como depressão e angústia. Durante a prática de esportes de aventura, o metabolismo é ativado retardando sintomas causados pelo tempo, como fragilidade muscular e deficiências cardiovasculares. Confira alguns dos esportes e atividades radicais indicadas para todas as idades: 

Camping (acampamento): Para os mais despojados, montar uma barraca em um camping no meio do mato ou em uma praia são opções mais econômicas do que a hospedagem em hotéis, e podem proporcionar momentos relaxantes, como uma fogueira de noite com a família ou acordar com o pé na grama. Atenção às normas e seguranças de áreas de camping. 

Trekking: Em terrenos pouco acidentados, é uma ótima forma de caminhar em trilhas com obstáculos naturais. Alguns dos desafios podem ser as matas fechadas, pedras e subidas.

Casal fazendo uma selfie nas montanhas - foto: Halfpoint/ShutterStock.com

Bóia-cross: A dica é iniciar a aventura em um rio calmo. Usando bóias individuais, este esporte consiste na descida de rios e corredeiras.

Rafting: Assim como o bóia-cross, é a descida por rios e corredeiras, com opções de rios mais calmos ou mais violentos, porém aqui é usado botes infláveis com mais de uma pessoa dentro. É o esporte mais procurado em todas as agências e operadoras de turismo de aventura.

Canionismo: Com obstáculos horizontais e verticais, o canionismo é a exploração de corredeiras a pé ao longo do curso de um rio.

Rapel e Cachoeirismo: Com técnicas e equipamentos especiais, o rapel é a descida de cascatas, cachoeiras, grutas ou montanhas. Os níveis da descida podem ser de fácil a muito difícil. 

Arvorismo: É o percurso realizado entre o alto das árvores ou outras estruturas montadas. Pode ser feito em parques, hotéis ou até mesmo ambientes fechados que criem uma travessia em altura.  

Cavalgada: Passeio curtos ou trilhas mais longa com cavalo. Permite o vislumbre de paisagens e lugares históricos. 

Quadriciclo: Para até dois passageiros, e um percurso realizado em um veículo de quadro rodas, obstáculos, lamas, rios e matas podem ser opções de travessia.

Tirolesa: Um cabo de aço suspenso com desnível entre dois pontos permite a travessia de um lado para outro, a pessoa fica presa a um sistema de segurança parecido ao do rapel. A sensação é de que se está voando. 

Canoagem: Praticado em canoa ou caiaque, é usual tanto em rios quanto em praias. Em ambos é possível se sentir próximo à natureza e se divertir com as descidas em corredeiras ou em ondas. 

Stand Up Paddle: Modalidade muito procurada ultimamente, também pode ser realizada tanto na praia clamas, quanto em rios e lagoas. É um passeio feito em pé numa prancha de surf, com um remo, o objetivo é se equilibrar e remar.

Luiza Souza

Pé na Estrada