A delicadeza e a versatilidade do rose gold na decoração

 Acompanhe as dicas da arquiteta Júlia Guadix, da Liv’n Arquitetura

A arquiteta Júlia Guadix, da Liv’n Arquitetura, apostou no rose gold na luminária de piso, posicionada ao lado do sofá. A escolha ficou em harmonia com o décor composto por candy colors, tons terrosos e a madeira em evidência | Foto: Guilherme Pucci

Os objetos metalizados ganharam espaço na decoração nas mais variadas peças, desde móveis até itens decorativos. E, se antes o prateado e o dourado encabeçavam a lista de metálicos para os ambientes, agora é o Rose Gold que ganhou lugar no coração dos apaixonados por decoração. “O toque rosado é versátil e pode ser utilizado em diferentes tipos de decoração”, afirma a arquiteta Júlia Guadix, à frente do escritório Liv’n Arquitetura.

No mercado, o Rose Gold está disponível em dois acabamentos: o opaco ou polido. A primeira versão garante um toque rústico, enquanto a segunda opção é mais moderna e perfeita para estilos mais urbanos e atuais, como escandinavo ou até mesmo o industrial. Aclamado há algum tempo, está longe de cair da moda. “Em geral, as tendências que são muito marcantes e carregadas passam rápido. Mas com o rose gold é diferente, pois sua aplicação acontece em detalhes. Por isso, seguirá como queridinho por muito tempo”, afirma a arquiteta.

Releitura da cadeira Bertoia, clássico do design mundial assinada pelo designer Harry Bertoia, a peça da Tok&Stok trouxe o rose gold para a varanda, que também faz as vezes de sala de jantar. Além disso, o tom está presente no soquete dos pendentes, completando a decoração| Projeto Liv’n Arquitetura| Foto: Guilherme Pucci

Em móveis como cadeiras, o material pode ser trabalhado em linhas finas, trazendo leveza na decoração. Para quem tem medo de ousar, a dica da arquiteta é utilizar o acabamento em pequenos detalhes e que podem ser trocados com mais facilidade. “Os puxadores e maçanetas de porta também entraram na cena do rose. Pode ser uma oportunidade muito bacana para mergulhar no tom”, relata Júlia.


Na sala de jantar, o rose gold marca o pendente, transformando-se em um item decorativo na composição do ambiente | Projeto Liv’n Arquitetura| Foto: Guilherme Pucci


Que tal um frigobar retrô? O modelo que conquistou os brasileiros nas versões vermelha e preta, chegou ao mercado com o pé em rose gold, perfeito para ambientes com a pegada escandinava, como o decorado por Júlia Guadix | Projeto Liv’n Arquitetura| Foto: Guilherme Pucci


 “Quando o rose gold surgiu, era utilizado em ambientes claros e com muito branco. Mas, como já estamos há alguns anos com a cor na decoração, já percebemos referências em cores mais escuras. O azul marinho e o preto, por exemplo, ajudam a construir uma decoração mais dramática”, aconselha Julia | Projeto Liv’n Arquitetura| Foto: Guilherme Pucci
Casa